Loading color scheme

Obscura disponível “A Valediction”, novo álbum da banda alemã de Death Metal Progressivo

 

Obscura A Valediction 500pxA banda alemã OBSCURA entra no conceito de trilogia com o seu deslumbrante e novo álbum “A Valediction”. Progressivo, elegante e ainda assim renovado, “A Valediction” resume os trabalhos anteriores enquanto olha o futuro com determinação e convicção. O OBSCURA é aclamado por fãs e pela crítica por desafiar e expandir as normas. De “Cosmogenesis” (2009) a “Diluvium” (2018), a banda floresceu e fez um significativo progresso em um gênero musical despreparado para uma dose criativa da imaginação alemã. “A Valediction” leva o OBSCURA a uma nova era do Metal Extremo.

Os números do OBSCURA são impressionantes: 20 anos de atividade, 6 álbuns altamente valorizados, mais de 600 shows em 4 continentes. O envolvimento dos fãs e da imprensa em todo o mundo – os clipes de ‘The Anticosmic Overload’, ‘Akróasis’ e ‘Diluvium’ têm mais de 4,5 milhões de visualizações – só fica mais forte à medida que o OBSCURA continua interagindo com seu público. “A Valediction” encontra o OBSCURA virando a página para um novo capítulo na evolução da banda. Em um ano de trabalho, as sessões de composição seguiram uma nova abordagem, mais relaxada, permitindo que novas inspirações, imaginações e oportunidades surgissem. Faixas como a épica que abre o álbum ‘Forsaken’, a oitentista ‘When Stars Collide’ (com o vocalista de Soilwork/The Night Flight Orchestra, Björn Strid, como convidado especial), o groove brutal de ‘Devoured Usurper’, a arte etérea de ‘Heritage’ e a faixa-título se beneficiaram do estratagema de composição reestilizado do OBSCURA.

O OBSCURA compôs, gravou e finalizou “A Valediction” durante a pandemia. As condições de trabalho durante esse tempo permitiram que o OBSCURA trabalhasse em diferentes países, gravando cada parte – bateria, guitarra e baixo – em estúdios nos Países Baixos, Áustria e Alemanha. Assim que as gravações acabaram, elas foram enviadas para o premiado produtor Fredrik Nordström do Studio Fredman (In Flames, Architects) em Gotemburgo, Suécia, onde Kummerer e Münzner gravaram e incluíram os vocais, além de guitarras acústicas usando amplificadores customizadas da ENGL. Nordström também foi o escolhido para mixar e masterizar o álbum. O resultado final é uma produção mais profunda, pesada e redonda.
Liricamente, “A Valediction” está repleta de estruturas e significados. A palavra valediction é traduzida como “discurso de despedida”. De certa forma, este é o auf wiedersehen [adeus em alemão] para a série de álbuns em quatro partes, ao mesmo tempo que aborda tópicos complexos da vida pessoal de Kummerer. Em vez de obscurecer questões de perda, morte e abandono em metáforas e alusões, o alemão resolveu expor seu tormento em músicas como ‘Forsaken’, ‘Solaris’, ‘In Unity’, ‘The Neuromancer’ e ‘In Adversity’. Mas, para cada linha de desespero, ele também oferece algo positivo. Na verdade, novos começos – físicos, emocionais ou ambientais – podem fornecer luz na escuridão. O elogiado artista Eliran Kantor (Testament, Helloween) foi trazido a bordo para visualizar o conceito. A coloração bronze que Kantor usou exemplifica a resistência do OBSCURA à corrosão individual e sônica.

Em 2021, o OBSCURA irá iluminar suas proezas musicais, sua complexidade temática e sua ambição lírica com “A Valediction”. O grupo continua a ser um sinal luminoso para mudanças. Sem dúvida, os novos números do OBSCURA irão surpreender novamente. Na verdade, não existe banda como o OBSCURA e “A Valediction” prova que persistência, perseverança e empreendedorismo podem alcançar qualquer coisa. Bem-vindo ao próximo nível!

Adquira sua cópia no seguinte link: https://bit.ly/3Cr5dqE.

Um lançamento da parceria Shinigami Records/Nuclear Blast Records.

Shinigami Records nas redes sociais:

Facebook - @ShinigamiRecords
Instagram - @shinigami.records.br
Twitter - @shinigamirec

Leave your comments

Comments

  • No comments found